Sendo uma denominação de 2 milhões de membros presentes em 156 áreas mundiais, há conversações numa variedade de tópicos acontecendo dentro da Igreja do Nazareno.

Uma discussão está centrada nas igrejas “emergida” ou a igreja “emergente”. Esse tema cria confusões e conflitos em alguns círculos. Há diversos problemas relacionados à “igreja emergente”. Alguns são úteis e positivos; outros são problemáticos e preocupantes. Isso ocorre porque alguns dos que se indentificam como “emergentes” refletem um grande espectro de posições e perspectivas que diferem entre si.

Há autores com liderança significativa que rapidamente se identificam como “lideres da igreja emergente”. Eles estão cientes da necessidade da igreja em aumentar seu engajamento com a sociedade. Alguns são completamente ortodoxos em sua teologia e visão bíblica, mas outros abraçam posições que a Igreja do Nazareno entende como sendo Heterodoxo ou não-ortodoxo e, dessa forma, inaceitável.

Alguns de nossos pastores, superintendentes e membros leigos acreditam que há um certo segmento dentro da Igreja do Nazareno que está abraçando um “novo movimento” cheio de riscos à nossa coerência teológica como denominação. Eles temem que esta direção servirá apenas para debilitar e minar a Igreja do Nazareno com heresias.

Suas preocupações estão, aparentemente, reforçadas por alguns líderes “emergentes” que fizeram afirmações que, para eles, são preocupantes. Esses comentários refletem posições teológicas que negam diversos princípios básicos das Escrituras e do Cristianismo Ortodoxo mantidos pela Igreja do Nazareno em nossos “Artigos de Fé”.

Há outros dentro de nossa denominação, incluindo pastores, superintendentes e eruditos, que vêem o conceito de igreja “emergente” como uma expressão positiva e esperançosa do que significa ser Igreja. Eles buscam genuinamente entrar em acordo sobre ministério numa cultura complexa e de rápidas mudanças. Seu objetivo é demonstrar relevância da verdade Bíblica através de uma vida incarnacional e transformacional.

Este último grupo é profundamente comprometido à autoridade e infalibilidade da Palavra de Deus e o poder do Espirito Santo para mudar vidas, comunidades e nações. Eles estão frequentemente engajados ao quebrantamento da sociedade através de ministério ativo e compassivo, trabalhando diligentemente pra trazer renovo, conversão e transformação.

A Junta de Superintendentes Gerais não endossa nem ratifica “igrejas emergentes” ou líderes que não são Ortodoxos em sua teologia. “Nós cremos”, a declaração emitida pela JSG, claramente articula a posição da Junta a respeito dos Artigos de Fé, os valores e a missão declarada no Manual da Igreja do Nazareno, encorajando Nazarenos em toda parte que juntem-se a eles em abraçar essas verdades vitais. (Veja “Declarações Oficiais” no site nazarene.org)

O envolvimento de muitos nazarenos neste diálogo revela um desejo sincero em abraçar nossos objetivos missionais. Eles estão tentando alcançar as culturas emergentes ao nosso redor enquanto claramente articulam uma interpretação ortodoxa das Escrituras e Teologia.

John Wesley, fundador do Metodismo e firme crente no poder do Espírito Santo de santificar e purificar o coração de toda injustiça, foi intencionalmente e forçadamente engajado nas necessidades sociais à sua volta. Nesta mesma tradição, P.F. Bresee estabeleceu a primeira “Igreja do Nazareno” com um foco nas necessidades ambas físicas e espirituais das pessoas, enquanto chamava homens e mulheres a fazerem um compromisso a Cristo e à plenitude do Espírito em limpeza e pureza de coração.

Este é o objetivo o qual os Nazarenos, incluindo aqueles envolvidos em ministérios às igrejas emergentes, estão comprometidos.

Qualquer conversa desta natureza carrega consigo o risco de ser incompreendida ou classificada como tendo posições que não são saudáveis ou apropriadas. Problemas envolvendo discussões como estas são muitas vezes complexas. A comunicação está algumas vezes com volume inapropriado.

Não obstante, é a nossa esperança e oração que aqueles, dentro da Igreja do Nazareno, que estão engajados neste diálogo, o farão com graça e humildade. Nós acreditamos que é possível deixar para trás descaracterizações, abraçar o que é legítimo e rejeitar quaisquer posições não-ortodoxas sem hesitação.

A Junta de Superintendentes Gerais está engajada no estudo e diálogos com numerosos eruditos Nazarenos, pastores, superintendentes distritais e leigos neste tema. Cada Superintendente Geral continua em oração e na busca cuidadosa do que é verdadeiro e melhor em todas as coisas relacionadas às Escrituras e missão.

Apesar da Junta não abraçar nada que seja herético ela, no entanto, encoraja conversas saudáveis entre nazarenos que façam parte da igreja de santidade e da Grande Comissão.

Uma Declaração à Igreja Emergente: Vamos manter nossos olhos fixados em Jesus Cristo que viveu, morreu e ressuscitou para salvar os perdidos e quebrantados de todo o mundo. Ele está voltando para fazer certas todas as coisas. A missão que Ele deu à sua Igreja foi de anunciar e encarnar o Reino, alimentar os famintos, vestir os nus e visitar os doentes e encarcerados. Sua missão é também nossa missão.

 

Junta de Superintendentes Gerais

Agosto de 2010

bgs@nazarene.org